Páginas ocultas de uma história indígena na fronteira do Oiapoque, no Amapá, Brasil

Resumen

Este texto trata dos percursos adotados para o levantamento preliminar efetuado para a criação de um inventário das fontes de estudo e pesquisa sobre língua e educação dos povos indígenas do Amapá. Por isso, este artigo tem como escopo descrever os procedimentos utilizados para o levantamento de bibliografias e documentos que abordam a historiografia linguística e educacional das populações indígenas dessa região. Esse levantamento fundamenta-se nas considerações de Aguiar (1994) utilizando critérios expostos por D’Angelis, Cunha e Rodrigues (2002). Esta pesquisa documental se dá por meio de visitas técnicas a instituições e plataformas on-line. A partir dos dados foi possível reunir mais de 120 referências, de diversas áreas e autores. Das produções coletadas há nomes já conhecidos dos estudiosos de línguas e educação indígena, tais como, Arnaud (1969, 1970, 1975,1980), Nimuendajú (1926), Gallois e Grupioni (2003), Gallois (1986, 1988, 1994, 2001, 2002, 2005), Green (1977, 1994, 1979), Grenand (1977, 1980, 1987, 1988, 1992, 1998), Vidal (1996, 2000, 2001), e outros. Assim, apesar de se ter levantado um número expressivo de materiais bibliográficos e documentais, não se tem a pretensão de tornar esse inventário um construto definitivo e inalterável, haja vista que as pesquisas sobre a história linguística e educacional ameríndia dos povos do Amapá tem conquistado o interesse de muitos pesquisadores.

Biografía del autor/a

Uisllei Uillem Costa Rodrigues, Universidade Federal do Amapá / Univerisdade Federal do Pará, Brasil

Es máster en Educación (2019), con énfasis en Educación, Cultura y Sociedad, por la Universidad Federal de Pará, especialización en Docencia en Educación Superior (2014), y licenciado en Pedagogía (2013) por el Instituto de Educación Superior de Amapá (IESAP). Fue coordinador y asesor docente en el Centro de Educación Inclusiva del Servicio Social de la Industria (SESI), donde también trabaja como profesor de asistencia educativa especializada. Sus áreas de especialización son Lingüística y Educación. Es investigador en el Centro para el Estudio de Lenguas Indígenas.

Citas

Gallois, D. T., y Grupioni, D. F. (2003). Povos indígenas no Amapá e Norte do Pará: quem são, onde estão, quantos são, como vivem e o que pensam? São Paulo: Iepé.

Gamboa, S. (2003). Pesquisa qualitativa: Superando tecnicismos e falsos dualismos. Contrapontos, 3(3), 393-405. Recuperado de: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rc/article/view/735/586.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (4a. ed.). São Paulo: Atlas.

Rodrigues, U. (2017). Fontes de pesquisa e estudo de línguas indígenas do Amapá: Produção do último século. Amapá: Manuscrito.

Lima, T., y Mioto, R. (2007). Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katálysis, (esp. 10), 37-45. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/rk/v10nspe/a0410spe.

Nimuendajú, C. (1926). Die Palikur indianer und ihre nachbarne. Goetborg: Fjard Foeljden.

Pizzani, L., Silva, R. C., Bello, S., y Hayashi, M. (2012). A arte da pesquisa bibliográfica na busca do conhecimento. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, 10(1), 53-66. Recuperado de: www.sbu.unicamp.br/seer/ojs/index.php.

Triviños, A. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

Publicado
2018-11-05
Cómo citar
Costa Rodrigues, U. U. (2018). Páginas ocultas de uma história indígena na fronteira do Oiapoque, no Amapá, Brasil. Anuario Mexicano De Historia De La Educación, 1(1), 133-142. https://doi.org/10.29351/amhe.v1i1.243